skateDentre desenhos e doces

Pipas e piões

Em tudo que tu fosses

Seríamos seus guardiões

 

Promessa complicada

Que só o amor permite cumprir

Galgando os pais tal escada

Ao devir e ao porvir

 

Gira no quintal, abraça a perna do adulto

Se esconde pra brincar com o mundo

Fala de noite, tem medo do oculto

E em cada palavra revela um saber profundo

 

Serzinho tão pequeno

E fermento tão enorme

Tem um sono tão sereno

Um amor que nem tem nome

 

Preenche nosso peito

Alegra a seca alma

Cansados da lida vemos jeito

No sorriso dela, no bater de sua palma

 

Pois seu olhar nos inspira o algo a mais

Dos sonhos que temos, preferimos o dela

Elevamos o tudo do qual somos capaz

Faz a vida ter mais brilho, ser a luta tão mais bela

 

Infância era de pião, gude e rolimã

Passamos a Atari, Pogobol, carteado

Veio mais desenho, internet, Instagram

E hoje o sorriso se divide entre a rua e o que é postado

 

Mas o espírito que a move é igual,

Como o nosso era empurrado um dia

Brincar, sorrir, amar e querer o bem tal qual

Aprendemos no lar que nos subsidia

 

Pois a verdade é que a guardamos sempre no coração

O que fomos, somos e seremos fazem parte

Da criança que éramos, que sonhava com emoção

E olhava o mundo, vivendo com arte

 

Então façamos lambança nessa dança que conduz

A criança que há em nós ainda lança luz

Pois alcança algo além da trança ou do capuz

Enche a pança, dá esperança, não carrega cruz

Traz a aliança com a vida, confiança que produz

A melhor mudança, leva à bonança, sem ser lapuz

Deixando de lado a vingança, em semelhança ao andaluz

E é de fato a liderança que leva à intemperança do que é bom, libertando esse espírito que seduz

 

Bora rolar na lama, correr na chuva

Assoviar andando, tropeçar e bailar

Pois isso cai como uma luva

Para quem é criança ou só quer lembrar

Anúncios