De como os cegos veem mais que os submetidos à escravidão

anatema parte 3 Mesmo depois de tudo o que se passara, Lívia parecia agarrada, presa a uma rede da qual não conseguia (ou talvez não quisesse) escapar. A vida dela parecia regida não por amor, mas sim por uma doentia síndrome de Estocolmo. O problema é que, em sua louca atitude de se agarrar a Vinícius, era como uma pedra afundando num rio, sem retorno.

Mariana foi mexer em alguns documentos e acabou encontrando a última carta que a antiga amiga lhe escrevera. Releu o PS de Lívia e decidiu que era hora de lhe responder. Entretanto, não conseguiria fingir uma placidez mórbida nas palavras, se fosse falar, que falasse da alma, de tudo que lhe estava engasgado. O interessante é que, quando releu o que havia escrito, de maneira rápida, como vômito que nos sobe à garganta de maneira repentina, notou que não citara a traição de mais de 20 anos antes, mas sim outros fatos que batiam pesado na alma de Lívia.

Apesar da aparência agressiva, aquelas palavras soaram como uma boia atirada a um afogado. Eram, não uma vingança, afinal, e sim uma última tentativa de abrir os olhos daquela que um dia fora uma pessoa por quem se pudesse nutrir afeto. Eis as palavras que chegaram à Lívia, dias depois, próximo a seu aniversário, pelo correio.

Parabéns por se aliar ao demônio que roubou a própria família e destituiu o próprio irmão de seus direitos. É reconfortante saber que você não quis trabalhar pelas suas próprias mãos e ficou junto com um cara pelo seu dinheiro e aí se viu presa numa rede da qual não consegue sair.

Legal ver que você convenceu sua própria mãe de diversas mentiras e abandonou a família por uma pessoa que só quer roubar tudo que o seu pai construiu, e não estou falando de bens materiais, mas sim de uma família unida.

Agora é melhor fechar os olhos para tudo o que é verdade e se reconfortar com uma conta bancária cheia (mas que você não pode desfrutar porque ele é controlador e egoísta) enquanto ele manda – sim, manda e você obedece – você se livrar de tudo que você gosta em nome de argumentos inválidos criados por aquela cabeça demoníaca… A propósito, já se livrou da cachorrinha inocente que poderia ter matado a família toda? Pois é, mais um argumento fútil para embasar a vontade de um tirano que você suporta e apoia…

Livre-se de tudo o que ele mandar e faça todas as suas vontades e, se for uma boa escrava, terá alguns ossos jogados ao chão.

Felicidades!

Depois de enviada a carta Mariana não quis mais saber dessa história. Aline, sua amiga, recebera uma promoção e fora convidada a trabalhar em outro estado e partiu. Mariana agora estava em paz consigo e com sua família. Sentia falta de Aline, mas dormia a maioria das noites com um sorriso nos lábios pelos seus filhos, marido e toda sua família e amigos! Já não havia sombra daquela garota deprimida de mais de 20 anos antes.

 

Imagem daqui

Anúncios