Salve Gonçalves

sampa

Minha terra tem asfalto,
Onde grita o trafegar;
Os carros, que aqui rodeiam,
Não rodeiam como lá.

Nosso céu tem mais cinzas,
Nossas ruas têm mais gentes,
Nossos peitos têm mais gritos,
Nossa “ilha” é bem mais quente.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem asfalto

Onde grita o trafegar.

Minha terra tem problemas,
Que tais não encontro eu cá;
Mas em cismar – sozinho, à noite –
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem asfalto,
Onde grita o trafegar.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Minha Sampa, tão São Paulo,

Que tanta crise me dá.

Não permita Deus que eu morra,

Sem que eu ainda me veja lá;

Sem qu’inda aviste as ruas,
Onde grita o trafegar.

 

 

daqui

Anúncios