barulho - imagem retirada do site - httpclotildetavares.files.wordpress.com200907barulho.jpgUm alarme de carro está disparado aqui na rua há uns 15 minutos e ninguém desligou o maldito ainda!

Eu não sei você, mas já faz um tempo que vejo as pessoas não dando mais bola para os alarmes de carros. Claro que em frente de casa ou algum local mais tranquilo o barulho se destaca e até chama a atenção, mas, no geral, não impressiona.

O equipamento da Car System é outro exemplo desses, quando dispara e avisa que “este veículo está sendo roubado”, ninguém leva a sério.

Isso ocorreu pelo simples fato de que o equipamento da referida empresa, como os de tantas outras, é falho, dispara sem motivos, você não consegue desativar quando quer e, geralmente quando precisa, não funciona.

(eu escrevendo e o maldito alarme na rua ainda disparado)

Se tem um alarme disparado, fazendo barulho insistentemente, ele só me atrai depois de minutos, e não pela possível situação de risco, mas pela chatice. Aí a gente olha pela janela do trabalho procurando o “corno que não desliga essa merda”.

Acho que quem quer roubar um carro com alarme deve atentar duas coisas: depois que ele dispara, fique mais alguns segundos ao invés de correr e verá que quase ninguém olha com importância para a situação. Se alguém te lançar um olhar desconfiado, sorria, puxe uma chave qualquer do bolso e levante as palmas das mãos num gesto de “fazer o quê?”. Automaticamente as pessoas vão entender que seu alarme deu problema.

Se for um bom ator, até o dono do carro vai ter essa sensação.

(acho que o carro lá fora deveria ter um sistema de autodestruição – a explosão seria mais barulhenta, mas num tiro único e não essa reverberação que corta o cérebro)

Só faço um apelo aos ladrões: antes de correrem, por favor, tentem desligar a droga do alarme, nem que seja arrancando a bateria do veículo, afinal, já que o alarme disparou, não haverá problemas em quebrar a janela do carro e puxar a alavanca do capô.

Aos donos de alarmes rebeldes, meus sinceros “vão à merda” e, ao mesmo tempo, condolências, sei como é ruim acordar esperançoso no meio da noite pelo barulho do alarme e notar que foi um trovão e não alguém querendo levar sua “máquina” – fato que colocaria em sua mão, no mínimo, uma história interessante contar.

(quando estou no fim do texto e pensando num final legal, resolvo olhar pela janela, culpando o barulho pela minha incapacidade de terminar micro-assuntos. Olho, vejo, enxergo, mas não acredito muito bem)

(O alarme disparado é do meu carro!)

Anúncios