*Pautas Improváveis – textos de uma ficção social

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

As pessoas sabem que algo define o humor que terão ao longo do dia, mas ninguém jamais precisou exatamente o quê, até agora. Freud já se arriscou pelos sonhos, os esotéricos pelo horóscopo, mas uma pesquisa recente relaciona tal fator com algo muito mais próximo do mundo e menos astral: o ato de escovar os dentes pela manhã.

Cientistas canadenses (sendo um lugar frio e onde a maioria das coisas funciona, o Canadá é o único laboratório onde se pesquisa por tédio e não por melhorias) comprovaram que a maneira como se escova os dentes pela manhã determina como será seu humor durante o todo dia.

De acordo com o estudo, não só a boa escovação, mas também a quantia certa e a posição do creme dental na escova fazem toda a diferença.

“Uma porção adequada e bem centralizada de creme dental, e com boa sequência de movimentos garantem um dia de alegria e sensação de limpeza”, afirmam os cientistas.

“Entretanto”, diz outro pesquisador do grupo, “se a pasta utilizada for pouca e só espumar um lado da boca ou exagerada a ponto de interromper a respiração do sujeito, o dia está estragado!”.

A pior situação, porém, é detectada quando parecemos ter acertado perfeitamente na quantia do creme e ele, por algum motivo, cai na pia no trajeto até a boca.

A conclusão do estudo é interessante: as pessoas que chegam ao trabalho de mais bom humor, no entanto, são aquelas que não escovam os dentes pela manhã (curiosamente as que parecem mais gostar de falar perto dos outros).

“A técnica não é aconselhável”, constatam os pesquisadores, “já que, na maioria dos casos, tais pessoas encerram o expediente num péssimo humor e irritadiços; o que indica críticas dos colegas pelo consequente mau hálito ou a sensação de sujeita na boca” (aquela sensação de que seus dentes parecem aveludados).

Anúncios