O Ricardão é o cara mais conhecido, principalmente entre a mulherada e os homens com um peso sobre a cabeça. Ricardão é doutor na vida.

O Ricardo, símbolo masculino maior, o cara que tem a “pegada” (e não falo aqui do tamanho do pé dele… se bem que, pelo sucesso, deve ser grande) é também um machista incorrigível.

Todas as suas atitudes se baseiam em ser macho, em ser O Macho, mas também machista. Não liga para relacionamentos sérios, destrói famílias, tudo o que é sensível e bonito é um pé no saco.

Foi num dia de reflexão que o Ricardão provou que as mulheres são contraditórias demais. Ele escutou uma de suas “amigas” (leia-se sexo rápido e garantido sem envolvimento) dizer que os homens só pensavam em mulheres.

Aquilo incomodou mas ele não conseguiu definir logo de cara. Certo dia, sentado num bar tomando cerveja, arrotando e olhando as mulheres desfilarem (porque elas não andam, se exibem, segundo ele), teve sua epifania: elas deviam ficar felizes pelo fato dos homens só pensarem nelas.

“Primeiro porque vivem pedindo atenção e quando têm reclamam”, pensava ele, “segundo que os homens são mais inteligentes, mais fortes, mais capazes, fizeram a história como um todo e etc. Se seres tão superiores pensam nelas… deviam se sentir felizes e agradecidas. Como são complicadas! Ah, se não fosse aquele corpo… estariam perdidas!”. E tomou mais um gole de cerveja para comemorar a nova filosofia. Ricardão é cada vez mais doutor!

Anúncios