Estou na minha semana do azar e o Michael Jackson morreu. Isso me faz contestar muitas coisas. Pra aumentar a bizarrice do momento, passou the happening hoje (O fim dos tempos, em português, se não me engano).

Sou um cara profundo, e não me refiro aqui à profundidade do meu umbigo, mas sim ao fato de eu ser uma pessoa que gosta de refletir. Estava eu analisando a efemeridade da vida e de como as coisas vão realmente estranhas no mundo quando recebi uma ligação de um amigo meu dizendo: “cadê o menino Jesus?”

Depois ele desligou o telefone e eu fiquei preocupado, pois a frase veio de um de meus amigos menos devotos do mundo (na verdade, quase nenhum deles é, mas enfim).

Estava prestes a ligar novamente e verificar o que havia acontecido quando recebi uma mensagem de texto que me fez entender tudo. A mensagem chegara atrasada, e por isso tive problemas. Nela dizia:

“Sabe o que o Michael Jackson disse quando chegou no céu?”

E aí toca meu telefone e alguém diz: “cadê o menino Jesus?”.

Muito bom… pelo visto a última criancinha estava estragada. Enfartou… tadinho, tinha o coração de criança… e a alma de várias.

Esse evento com a piada de meu amigo me mostrou como tudo tem uma ordem e como ela deve ser seguida para que as coisas deem certo. Por exemplo, se o Michael Jackson tivesse transado com crianças na época dos Jackson 5, ele não seria doente, apenas um garoto precoce.

Bem como, se nascesse branco e ficasse negro, seria apenas consequência do aquecimento global.

Anúncios